Ao doutor com carinho

Vinicius Tapioca
@DrTapioca

19/12/2009 - 13 COMENTÁRIOS

Seu Dotô!

PresenteA coisa mais comum ao se tornar médico do interior é a tradicional oferta de presentes. Basta cair na graça da comunidade para começar a receber desde uma muda de erva medicinal até uma porca prenhe. Com a aproximação do Natal aumenta a quantidade de mimos que recebemos dos nossos amados pacientes.

Desde a época que eu trabalhava em Salvador, em clínicas de bairro, ainda recém formado e com pouca experiência, já recebia uns presentinhos aqui e ali. Certa vez me foi ofertado uma correntinha com um pingente, ambos em ouro, por uma paciente que nem tinha muita condição financeira. Fiquei sem graça de receber, ainda mais porque nessa época eu só estava acostumado a ganhar saquinhos de sequilhos caseiros, doces, pasteizinhos (o que me ajudou a construir esse corpinho de hoje), mas sabia que negar seria uma grande desfeita. Foi meu primeiro grande presente e nunca me esqueci dele.

As pessoas quando gostam do médico se esforçam além da conta pra presenteá-lo com algo do “nível dele”. Isso às vezes nos deixa até constrangidos, pois sabemos que elas gastaram até o que não podiam para nos comprar aquela lembrança. Tem um colega meu que atendia uma paciente que tinha verdadeira paixão por ele e só dava presentes caro, como camisa de seda, perfume importado, carteira de couro e por aí vai. A mulher dele ficava até desconfiada, achando que o marido estava fazendo algo “além da obrigação”, mas quando conheceu a paciente, uma senhora de seus setenta e poucos anos, viu que não passava de um amor maternal.

Já perdi a conta de quantos presentes eu já recebi, galinhas mesmo foram umas 50 ou mais. Uma vez me deram um pato vivo, pena que eu não pude levar pra casa, pois era em outro município e eu estava com o Uno Mille do meu sogro e o pato iria, digamos, sujar o carro todo na viagem de volta. Já ganhei banana pra dar com o pau, caju, siriguela, jabuticaba, laranja (se juntasse todas dava uns 20 centos), coco (afinal, estou na Bahia), camisa, canetas das mais diversas e mais uma porrada de outras coisas.

Muitas vezes recebo bebidas, já ganhei até whisky, mas o mais comum é ganhar uma pinga da boa. Se até o presidente é chegado numa destilada, quem sou eu pra não prestigiar esse fenômeno etílico nacional? Ganhei uma vez um litro de uma cachaça artesanal que vinha numa garrafinha pet de guaraná e juro que fiquei com medo de ter metanol dentro, mas como a pessoa que me deu era de confiança eu segurei na mão de Deus e fui (não tive nada até hoje). Recebi também uma garrafa da famosa Babilônia, cachaça muito conhecida aqui na região de Amargosa. Essa semana bateu o recorde, trouxeram para mim uma branquinha fabricada por um paciente meu que, graças à minha intervenção, não morreu de úlcera gástrica. O problema é que o cara encheu um garrafão de cinco litros e me mandou. Acho que ele quer passar a úlcera pra mim!

Por mais singelo que seja o brinde, ele sempre passa uma idéia de que você está fazendo um bom trabalho e merece o reconhecimento do seu cliente. O que não podemos permitir é que aquela lembrancinha se torne motivo de privilégios para um ou outro paciente, isso nunca, pois deixa de ser presente e se torna suborno!

Esse hábito de presentear os médicos é uma tradição que espero que perdure por muitos anos. A final de contas, quem não gosta de receber um mimo de vez em quando? Espero que neste Natal todos meus leitores, médicos ou não, recebam vários presentes e que no próximo ano nos encontremos muitas outras vezes.

Leia Também

Comente no Facebook

  • Camila

    Ô dotô segura a onda da pinga aí hein, senão vai acabar dando diagnóstico errado…
    Boas festas!

  • Carolina

    Um dos presentes de natal que minha avó me incumbiu de comprar foi uma camisa para o médico do meu avô. Meu avô já morreu, mas ela continua muito amiga do médico. Agora espero que sirva e ele não tenha que ir trocar.

  • alice

    quando a gente encontra médicos atenciosos e dedicados temos mais é q prestigiar mesmo!

    hoje em dia, pra quem depende de plano de saúde, qd se marca uma consulta (não te dizem, mas a praxe é q dure uns 15, 20 minutos) o sujeito já te atende olhando pro relógio!

    você diz q tem uma dor e ele diz q é pq vc está gordo! nem te examina, nem manda fazer exames…

  • http://desventuras.com.br/ Rodrigo Esteves

    Nem precisa ser médico, basta fazer algo com valor agregado para a sociedade, as pessoas no interior principalmente dão muito valor a atos que ajudam, salvam enfim coisas desse tipo parabéns…

  • camila

    Lendo o comment da Alice, lembrei uma vez que meu pai pagou horrores pra eu ser atendida na emergência de um grande hospital em Porto Alegre, o médico olhou pra mim e disse:
    – Isso é um processo viral.
    Maravilha, não? Na ocasião nem água eu tava conseguindo engolir. Vamos prestigiar os bons profissionais, sim!

  • leda

    CUIDADO COM ESTES PRESENTES ETÍLICOS, ENQUANTO FOR GALINHAS, PATOS,FRUTAS ETC AÍ SIM TUDO BEEEMMMM. EAS SOBRAS PODE MANDAR PARA CÁ A CASA ACEITA, PRINCIPALMENTESE FOR UMA JAQUINHA! BJS. A COLUNA CONTINUA MUITO LEGAL .

  • http://www.omegaparadise.wordpress.com Fábio "D

    Tenho uma paciente bem simples, sabe?
    Recebo muitos elogios (sem falsa modéstia) dos meus paciente pela minha atenção e interesse pelo caso de cada um (ainda mais em psiquiatria que vc TEM que conversar senão vc não descobre oq a pessoa tem), e por conseguinte, recebo muitos presentes.
    Enfim, essa paciente veio um dia comigo aqui em Diadema toda envergonhada. Eu perguntei pq, e ela disse q queria me dar um presente, mas que tinha vergonha. Eu disse que eu não me importava com o presente, me importava com o gesto de carinho dela. Ela abriu um sorriso e tirou da bolsa, embrulhado em papel alumínio, uma vasilha de margarina de tampa transparente: era um tempero que ela mesmo tinha feito.
    Cara, eu fiquei tão emocionado de ela ter lembrado um detalhe que disse sem querer há muitas consultas antes (o fato de eu adorar cozinhar) e te digo uma coisa: Eu agora só cozinho minhas tortas com esse tempero, que já está acabando… E TODOS os meus amigos elogiam muito mais as minhas tortas… ^^
    Abs

    • http://papodegordo Mirian

      Nossa eu adorei a sua história,e em saber que vc é psiquiara,bom eu me trato a 2 anos com um pisquiatra bonito e novo e eu me interessei por ele desde a primeira vez que o vi. Sou casada tenho 28 anos,sou bonita e estou muito afim dele, ele não usa aliança e já demonstrei para ele o meu interesse, e ele tem me tratado muito melhor do que antes, sempre quebrando meu galho, eu ligo pra ele ele me retorna a ligação rapidamente, quando não pode me atender ele liga e pede disculpas,percebo que ele fica feliz quando me vê.Uma vez fiquei sem ir me consultar durante 2 meses e ele me perguntou se eu havia enjoado do médico, se eu estava com raiva dele. Me ajude a tentar entender o que é isso, será que um médico psiquiatra pode também se interessar pela paciente?

      • Lili

        Garota vc é casada, não tem vergonha de escrever isso…o médico com certeza deve estar apenas fazendo o serviço dele, sendo simpático e vc está confundindo as coisas…ele pode estar até interessado, mas se envolver com uma paciente é algo bem antiético e contra os princípios médicos que ele jurou quando formou.

  • http://Facebook Auricéa

    Eu sou grata a Deus por todos os médicos que me proporcionou; porém há um muito especial. Quando me encontrei enferma e depois de ter passado por vários médicos sem obter nenhum sucesso,Deus me enviou um anjo em forma de médico. Este não só ouviu como abraçou a minha causa. Passei por uma cirurgia delicada, embora não o conhecesse direito, senti segurança em suas palavras. O seu carinho e dedicação foram fundamental para mim naquele momento tão crítico de minha vida. Hoje, já recuperada do problema, me sinto uma outra mulher. Voltei a ter prazer em viver; por isso sou grata a Deus e ao meu queridíssimo Dr. J. César.Todo e qualquer presente que eu lhe ofertar
    ainda será pouco diante de tudo que fez e faz por mim. Simplesmente faz parte da minha história e isso é fato.
    A ele os meus sinceros votos de felicidade e que Deus o abençoe rica e abundantemente! “AO MÉDICO COM CARINHO”

  • Monalisa Pimentel Macedo

    Olá pessoal!
    Acho que devemos, sim, presentear os médicos que nos veem como um todo: corpo e alma. Alguém com sonhos, limitações e dilemas. Cumprir o juramento de Hipócrates é para poucos. As vezes, desisto do profissional por causa da Secretária. Está aí alguém que pode cativar ou espantar o paciente, acrescentando algo bom ou prejudicando a imagem do profissional. Outro dia, na tentativa massacrante de um agendamento, ela perguntou: ” Você acha que só você tem problemas?”. Meu Deus, com uma Secretaria dessa , a gente sai correndo e sem olhar pra trás! Doutores, selecionem com muita cautela!
    Enfim, sempre presenteio um médico que, verdadeiramente, respeite-me como um todo e que nao se limite a exames e receituário. Abraços a todos.

  • Leticia Mascarenhas

    Olá! Adorei a matéria!! Concordo com a maioria,quando encontramos um médico atencioso, dedicado e o principal quando consegue nos ajudar em nosso processo de diagnóstico. Eu realmente ainda fico surpresa quando encontro médicos que exercem a profissão com verdadeiro prazer! Parabéns e sucesso sempre!

  • rcb

    meu querido aproveitando sua deixa meu medico aqui em sp,é meu medico a muitos anos e chefe de equipe. queria dar um presentinho como vc diz doutor, mas que fizesse a diferença e trouxesse lembrança. pode me ajudar?


Desenvolvido pelo Cientista da Web