Gordo tem que pensar como magro, diz livro

Lucio Luiz
@lucioluiz

Publicado em 25 de março de 2010

Que gordinho já não decidiu começar uma dieta e, na véspera, comeu que nem um condenado “pra se despedir”? E que gordinho que fez isso não desistiu da dieta logo depois e repetiu esse mesmo ciclo várias vezes?

Segundo o psiquiatra Flávio Gikovate, é isso que faz com que as pessoas engordem: o “pensamento gordo”, que seria o responsável por levar as pessoas a acreditarem que a próxima refeição sempre será a “última” e, por isso, deve ser exageradamente calórica.

Gikovate explica sua “teoria” no livro “Deixar de ser gordo“, da MG Editores. Ele concedeu entrevista ao site Livraria da Folha, onde afirma que a única solução para os gordinhos seria assumir um “pensamento magro”, com o qual, segundo ele, não haveria sequer a tentação de comer guloseimas à noite depois de um dia de dieta.

Tudo bem que, entre as declarações do psiquiatra ao jornal, ele afirma que “o gordo é preguiçoso e envergonhado de sua aparência” e que, por conta disso, não busca mudar sua alimentação ou fazer exercícios.

As generalizações continuam quando ele afirma que comer como magro é a solução porque, quem come assim, “para de ver na comida mais do que a necessidade fisiológica e/ou um prazer gustativo interessante”.

Em outras palavras: Ele acredita que gordo é preguiçoso e come para compensar frustrações psicológicas enquanto os magros não são assim. Claro que há casos de pessoas obesas que ganham peso por questões psicológicas, mas toda generalização é perigosa.

Generalizações, exageros e preconceitos à parte, não deixa de ser uma boa dica evitar as “orgias gastronômicas” que antecedem uma dieta, especialmente quando a pessoa “começa” uma dieta nova a cada semana.

—–

Fonte:
Toda refeição é a “última ceia” para os gordos, diz psiquiatra e autor best-seller

Publicidade

Comente no Facebook

Comente no Site

4 respostas para “Gordo tem que pensar como magro, diz livro”

  1. LINDSAE disse:

    Se gordo deve pensar como magro, o Dr. Flávio Gikovate deveria começar apenas a pensar…
    Sério, que livro caça-níquel! A teoria mais idiota que eu já vi em todos os meus anos de gorda!!!
    [E olha que eu já vi váááárias!!!]

  2. Nilda disse:

    Mas… mas.. eu SEMPRE fui gorda!!
    Como é que eu vou saber como magro pensa???

    Daqui a pouco este "dotô" vai dizer que pra dirigir como homem, é só eu começar a pensar como homem, pra entender um cachorro é só eu pensar como cachorro…

  3. Sandra disse:

    O psiquiatra está certo. Somente quando mudarmos nossa maneira de pensar, poderemos mudar nossas ações. E só então, ocorrerão mudanças reais e definitivas. Vocês não sabem como pensa um magro? Ora, ele não resolve seus problemas comendo, mas ouvindo música, vendo um filme, ligando pra um amigo, etc. Tenho amigas que comem bem, mas são magras, justamente porque tem uma relação sadia com a comida, ou seja, comem porque e só porque estão com fome. Não se entopem de bolo de chocolate – como eu – porque o chefe fdp falou um monte de [email protected]#$%*&¨%$, por exemplo. Além do que nunca acreditei, seriamente, nas pessoas que são “plus size” e se aceitam assim. Obesidade é feio, é disforme, é anti-natural e não há quem me convença do contrário. Portanto, acredito que o gordo seja envergonhado, sim, mesmo que não assuma. A única coisa que discordo desse médico é dizer que gordo é preguiçoso. Não é verdade. A gente luta uma guerra insana para emagrecer e raramente ganhamos qualquer batalha, que dirá a guerra toda. Os magros não passam fome, não passam vontade, porque seus corpos estão acostumados a pouca comida. Mas nós??? Deus do céu!! Eu comparo o emagrecimento a largar drogas pesadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *