Entrevista de emprego

Lucio Luiz
@lucioluiz

Publicado em 10 de fevereiro de 2011

Gordo de Raiz, por Lucio Luiz

– Por favor, pode sentar.
– Obrigado.
– Seu nome é… Marcos, correto?
– Sim.
– Então, Marcos, eu vejo pelo seu currículo que você tem bastante experiência em vendas.
– Sim. Eu trabalho há anos como vendedor e, modéstia à parte, sempre fiz ótimos negócios para minha antiga empresa.
– Você vendia máquinas de refrigerante para a Sweet Soda, certo? Por que saiu de lá depois de tantos anos?
– Bem… Não seria muito ético comentar…
– Foi porque você é magro, certo?
– O quê?
– Olha, Marcos, aqui na Amazing Donuts, nós prezamos pela sinceridade. E eu vejo que você é excessivamente magro. Deve pesar uns 70 quilos, mais ou menos, acertei?
– Sim, mas… É que eu tinha que trabalhar andando de um lado para o outro, sabe? Eles não tinham verba de combustível, então eu precisava pegar ônibus. Caminhando muito, no Sol, com uma maleta pesada, acabei emagrecendo…
– Por favor, seja sincero. Foi por isso que eles o demitiram? Não se ofenda, mas nem sei como chegaram a contratá-lo…
– Na verdade, quando eu comecei lá, tinha 120 quilos bem concentrados na barriga. Foi assim que construí minha fama, sabe? Os clientes me viam e tinham a certeza de que nossas máquinas eram realmente boas.
– Entendo. Gordos realmente são mais confiáveis na hora de avaliar a qualidade de um refrigerante de máquina.
– Isso mesmo. Eu era considerado a imagem perfeita da companhia. Conseguia vender para 90% dos clientes que eu visitava. Mas fiquei querendo vender cada vez mais e acabei descuidando da minha alimentação. Passei a comer pouco para conseguir visitar mais clientes. Não tinha mais tempo de ficar em casa, morgado no sofá comendo Doritos com guaraná. Eu acabei ficando uma pessoa muito ativa, mas juro que foi por força das circunstâncias!
– Aí acabou emagrecendo.
– Sim. Minhas roupas foram ficando cada vez mais largas. Eu comecei a ter que procurar lojas especializadas para magros, mas só encontava modelos que pareciam roupa de criança, sabe? Sem contar os clientes, que passaram a me olhar torto. Meu supervisor, que era um grande amigo, já nem me convidava mais para os churrascos que fazia e começou a vir com piadinhas pra cima de mim. Falava que eu não ia aguentar nem um quilinho de picanha e saía rindo. Se não fosse tanto trabalho eu teria estômago pra cinco quilos e ainda sobrava pra cerveja, pombas! Isso me humilhava!
– Foi aí que te demitiram?
– Não. Na verdade, eu que pedi demissão. Eu tinha dez anos de casa e, mesmo tendo emagrecido tanto, acho que merecia ser respeitado. Mas eles contrataram um rapaz mais novo. Ele não tinha nem um décimo da minha experiência, mas impressionou os diretores pelo visual. Devia ter uns 150 quilos, sabe? Uma gordura abdominal perfeita, com várias dobras. Os diretores chamaram ele no mesmo dia para um almoço de negócios no McDonald’s e ouvi por trás da porta que eu não seria convidado porque ia acabar pedindo um McSalad com suco, deixando todo mundo enjoado. Isso foi a gota d’água! Não é porque estou magro que comeria salada! Isso é um estereótipo ridículo! Pedi as contas no mesmo dia!
– Entendo…
– Desculpe se me exaltei. Sei que não é de bom tom falar mal da empresa anterior, mas eu realmente me senti discriminado. Você não tem ideia de como é ser julgado por seu peso.
– Eu entendo, mas preciso ser sincero. Infelizmente, fica complicado para uma pessoa magra vender nossos produtos. Sabe como é… temos uma imagem a zelar. Ninguém confiaria num vendedor de donuts magro. Ia parecer que nem nossos próprios funcionários comem as rosquinhas.
– Mas eu posso engordar! É só me dar uma chance!
– Marcos, eu tenho outros candidatos para entrevistar. Alguns já são rechonchudos e também têm experiência. Mesmo que você entrasse em uma dieta de engorda, isso exigiria muito tempo e dedicação para atingir o peso ideal. E nem todo mundo consegue passar dos 100 quilos com facilidade. Me desculpe, de verdade, mas não podemos contratá-lo.
– Isso não é justo! Não é porque sou magro que me torno incompetente pro cargo! Peso não tem nada a ver com a capacidade de vender refrigerante ou rosquinhas!
– Por favor, não se exalte.
– Isso não vai ficar assim! Vou processá-los por discriminação! Vou denunciá-los na TV!
– Segurança! Por favor, tire esse rapaz daqui! Aff… Esses magrelos hoje em dia acham que podem tudo. Eles tinham é que ter vergonha de sair de casa e obrigar as pessoas normais a ficar vendo esses ossos quase rasgando a pele, que nojo. Custava ser um pouquinho sedentário e se empanturrar com salgadinhos pra chegar pelo menos nos 100 quilos? Por isso eu odeio magros, eles não têm força de vontade. Bom, deixa pra lá. Próximo!

Publicidade

Comente no Facebook

Comente no Site

38 respostas para “Entrevista de emprego”

  1. Mi disse:

    Criatura, da onde tu tirou isso???

    Adorei, Lucio!

  2. Daigo disse:

    Senti uma pontada de revolta huahuahua

    Alô, Roberto Justus!

  3. Alexandre disse:

    Muito bom… rs..

  4. Odeio magros. hehe. Muito bom o texto do tio Lucio, divertido.

  5. JOHN ROBERT disse:

    Acho que compreendi seu objetivo, compreendo também que o texto é bem humorado, no entanto estamos no limiar de uma NOVA ERA e segunda década do Século XXI, ou seja, napesar de ser engraçada e cômica a estória, hoje em dia não podemos mais permitir nem estes tipos de textos pois apesar da brincadeira sempre gerará discriminação e risadas.

    O mundo mudou e exige de todos o abandono de certas atitudes, pensamentos e sentimenos…sem falar no que escrever…

    O autor deve ser desencorajada a escrever mais e na mesma linha, pois se ele se empolgar certamente escreverá sobre homossexuais, velhinhos, adolecentes grávidas, negros,etc

    O escritor tem que se concentrar em textos elevados e se fizer humor tem que ser no estilo do Sérgio Rabelo, digo com muita inteligência mas sem nada de discriminação.

    Talvez nem você goste do que estou escrevendo, mas este é o novo mundo…um mundo de Justiça aos que sempre foram desrespeitados…PENSE NISSO

    Segue abaixo um de meus vídeos para você refletir:

    link:

    John Robert


    • Renato Augusto disse:

      Parabéns Lúcio, ótimo texto!

      E John Robert, percebi pelo seu texto que você é uma pessoa muito inteligente e perspicaz.

      Só lhe falta aprender uma coisa: o sentido e como identificar uma ironia ou um sarcasmo.

      Depois disso você será capaz de entender o real sentido tanto do texto do Lúcio quanto do meu.

      #fikdik

      • JOHN ROBERT disse:

        Prezado Renato Augusto,

        vou ajudá-lo numa interpretação de texto e que apesar de você ter tentado corrigir-me, na verdade sua intenção é outra, aliás aplicaste em mim uma das 38 táticas de Arthur Schopenhauer, certamente, você nem sabe quem é o cidadão que falei, mas busque no Google e compreenderá, pois lição de graça dou apenas aos educados.

        Lamentavelmente Renato você foi tão deselegante e mau educado quem nem atentou ao significado do que escreveste, veja abaixo a cópia do significado das suas duas palavras:

        ironia

        i.ro.ni.a

        sf (gr eironeía, pelo lat) 1 Ret Figura com que se diz o contrário do que as palavras significam. 2 Dito irônico. 3 Ar ou gesto irônico. 4 Zombaria insultuosa; sarcasmo: Ironia do destino.

        sarcasmo

        sar.cas.mo

        sm (lat sarcasmu) 1 Ironia ou zombaria mordaz e cruel. 2 Figura de retórica, que consiste em empregar esta espécie de escárnio para afrontar ou ofender pessoas ou coisas.

        …ou seja, sua resposta além de ilógica, na prática, não tem valor e não está ao alcance do meu filosófico raciocínio.

        Procure saber o significado de tênue…quem sabe aí até você poderá compreender

        No mais, como podes falar assim sem me conhecer, prezado são mais de 28 livros que escrevi e sei de sobra como, quando e o porquê escrever…acontece que o texto é uma ODE discriminatória que se alguma pessoa obesa quiser e desejar poderá processar o autor, que pelo visto nem ele e nem você sabem ou conhecem nossa Constituição da República.

        Internet não é território de ninguém onde qualquer um escreve o que quer, antes de tudo é preciso, responsabilidade.

        Dica para os dois, você e o autor…ESTUDEM o Artigo 5º da Constituição e o Código dos Direitos Universais dos Direitos Humanos.

        John Robert


        • John,

          Se você acha que o Papo de Gordo discrimina obesos creio que você realmente não conhece o nosso site.

          • JOHN ROBERT disse:

            Prezado Eduardo Sales Filho,

            é óbvio que compreendi suas explicações cabais e sensatas, muito embora não apague minhas sutis observações…creio em ti. baseado no que me explicaste e creia em mim, com algum fundo para ser analisado e pensado…

            Por favor, não me leve a mau, pois minha intenção jamais será a de denegrir sem base ou levianamente…de coração abraço e sucesso, mas mesmo assim reflita…

            Cordialmente

        • Rodrigo disse:

          Nossa… quem escreveu 28 livros e mesmo assim coloca o ME depois de CORRIGIR com um hifen entre eles, nem quero imaginar o teor dos seus livros rs.

          De fato, és simplesmente uma anta (vou ser processado?). E não sabe conjugar verbos (e não estou falando do caso que citei anteriormente). Texto muito bom do Lucio, fazendo referencia ao caso INVERSO, que aconteceu em SP com professores.

          Pior do que ter razão é achar que está por cima da carne seca e querer dar lição de moral nos outros, citando autores com BREVES coisas úteis a serem lidas pra tentar menosprezar os outros. Fico por aqui… e esperando o proximo podcast. Aliás, como dizem, "bjo no coração" do amigo :)

          abcs,

          Rodrigo

          • JOHN ROBERT disse:

            Prezado Rodrigo,

            agradeço sua atenção aos meus escritos, muito embora aqui nas REDES SOCIAIS e fóruns não dê tempo de escrver com as devidas precauções que se tem ao escrever um livro…

            Participo de centenas de comentários e sites e o tempo é escasso…portanto, vai uma dica, apegue-se ao fundo e conteúdo e não à letra…

            De resto…seja um puquinho mais educado e diplomático isso ajuda muito

            Um fraterno Abraço

            John Robert
            http://www.youtube.com/user/JOHNROBERTVISAO

        • Renato Augusto disse:

          John Robert,

          Primeiramente, você também não me conhece. Sim, eu já li Arthur Schopenhauer.

          Sim eu sabia exatamente sobre o que eu estava falando quando escrevi o comentário acima, você é que não foi capaz de interpretar, mas vou te dar uma ajudinha:

          "ironia

          i.ro.ni.a

          sf (gr eironeía, pelo lat) 1 Ret Figura com que se diz o contrário do que as palavras significam. 2 Dito irônico. 3 Ar ou gesto irônico. 4 Zombaria insultuosa; sarcasmo: Ironia do destino"

          Ser irônico foi a intenção do texto acima, pois se a vossa senhoria dotada da mais brilhante inteligência não sabe algumas empresas recusam funcionários por serem gordos (te sugiro a seguir sua própria dica e pesquisar no google, ou entre no arquivo do papo de gordo que lá existe uma matéria que diz respeito exatamente a este assunto)

          "sarcasmo

          sar.cas.mo

          sm (lat sarcasmu) 1 Ironia ou zombaria mordaz e cruel. 2 Figura de retórica, que consiste em empregar esta espécie de escárnio para afrontar ou ofender pessoas ou coisas."

          Digo com total convicção que a minha intenção ao escrever aquele texto foi ironizar mordaz e cruelmente com você.

          No mais, desprezado, seus livros devem ser um pé no saco de ler, porque alguém que não sabe entender uma ironia não deve ser digno de muita leitura. Não adianta vir dizendo que escreveu uma pá de livros, citando constituição e o caralho (espero que entenda o que essa expressão quer dizer), isso também faz parte de uma manobra de ganhar discussões que não foi inventada por você, só que não vou citar autores e a puta que pariu só pra aparecer.

          Ps.:Videozinho de merda o seu, hein? (sem ironia ou sarcasmo)

          • JOHN ROBERT disse:

            Prezado Renato Augusto,

            agradeço também a sua atenção aos meus escritos, no entanto, lamento sua falta de compostura e educação o que nos distancia muito, pois meu nível de diálogo não resvala em beligerância natural a mentecaptos e energúmenos.

            Dúvido muito que tenha lido Schopenhauer, ainda mais com esta sua retórica chula e vil…no máximo leste gibi, coisa que duvido também

            Enfim, como você descambou em seu salto de "folião" não há mais espaço para conversar com você…volte pro boteco e termine o que estava fazendo…rsss

            Um Abraço (sincero sem ironia…rsss)

            John Robert
            http://www.youtube.com/user/JOHNROBERTVISAO

            • Renato Augusto disse:

              Duvida mesmo? Pois realmente eu li Schopenhauer, quer você acredite ou não.

              Você se acha mesmo que escrever duas ou três palavras que não são usadas corriqueiramente vai impressionar as pessoas? A internet está cheia de pessoas assim.

              Pare de achar que é o senhor da justiça e que vai mudar o mundo, se não mudou com seus insignificantes 28 livros não muda mais, ok?

              Não ache que seu nível é tão alto assim, vejo melhores todos os dias. E eu não preciso me esconder atrás de um discurso com muita casca e pouco conteúdo pra falar com alguém.

              Você poderia dar uma de "folião" de vez em quando e ir ao boteco na casa da sua querida progenitora, quem sabe você não comece a falar coisas interessantes?

          • JOHN ROBERT disse:

            Prezado Renato Augusto leia o link abaixo, certamente, irá te ajudar:

            link: http://www.humanitates.ucb.br/2/educador.htm

            John Robert
            http://www.youtube.com/user/JOHNROBERTVISAO

        • Acho que o que você não percebeu, John Robert, é que esse texto é uma denúncia da discriminação real que ocorre em entrevistas de emprego pelo mundo.

          Pessoas são sim discriminadas por serem gordas, e esse texto tenta demonstrar o quanto isso é absurdo, invertendo a situação.

          Gostaria de saber quais livros você escreveu,

          Grato

    • Leo Lopes disse:

      Ahã, Cláudia… Senta lá!

  6. Ótimo texto! Foi mesmo o cara do "momento cultural" que escreveu? Nem dá pra acreditar! hehe! (brincadeirinha)

    Esse John Robert ou não entendeu nada ou está zoando… espero que a segunda opção.

  7. Arthur Felipe disse:

    Lucio… Espetacular!

    Eu sempre falo que os Gordinhos são muito mais confiáveis…

    @JohnRobert – …ahn?

  8. Priscila disse:

    Cara, eu chorei de rir! Sério! E tb fez pensar… muito, muito bom.

    Achei que o John Robert tava zuando, mas pelo jeito é sério. Aff.

    Viva o humor inteligente! Que faz a gente rir e pensar… fico preocupada quando as pessoas tentam impor moralismo no humor. John, meu querido, a idéia é justamente mostrar como funciona o preconceito as avessas….

    Já passei por essa situação de preconceito em entrevista de emprego, mas por motivo diferente. A entrevistadora – obesa, devia entender de preconceito – me dispensou por causa da minha "condição mental" (sou depressiva). Um dia ainda deixo de contratar pessoas só pq são "mentalmente sãs". Humpf.

  9. Adorei o texto…

    Devia ter um jeito de dar "joinha/curti" aqui também…

    facilitaria pro povo que tem preguiça de fazer comentários…

    Estela de Oliveira

    Jundiaí – SP

  10. Edmilson disse:

    Adorei o texto! ja fui gordo(12 anos 93 kg) e já fui magro(18 anos 50 kg), sei bem os preconceitos dos 2 lados, e somado a issto sou nerd! tadinho de mim, vou chorar! :'(

    XD

    mas voltando ao tema, adorei a forma com q o texto faz pensar :)

  11. Marcus Rocha disse:

    John Robert deve ser um magro que zoou gordos a vida inteira. Aqui no Papo de Gordo onde o "fat pride" predomina ele é o peixe fora d'água, o "outsider" e pra não sair por baixo vem querer menosprezar o texto que, pra mim, é bastante inofensivo, porém inteligente, que deixa cada gordo desse país com um sorrizinho no canto da boca.

  12. Camila Téo disse:

    Nossa que polemica a tua crônica gerou Lúcio… Parabéns, isso é um sinal de que as pessoas estão pensando no assunto depois dos ultimos acontecimentos.

    Creio que o John não tenha entendido o "espirito" da coisa e acabou criando uma coisa que na realidade não existe.

    Crueldade foi o que fizeram com as professoras gordinhas… E o que fazem todos os dias por ai. Este texto apenas mostra de maneira bem humorada uma situação.

    Um abraço

  13. JOHN ROBERT disse:

    Agradeço a todos que escreveram e mencionaram meu nome, mas sinto não poder dar resposta a cada um, meu tempo é escasso…

    Um fratermo Abraço

    Jiohn Robert
    http://www.youtube.com/user/JOHNROBERTVISAO

  14. Lucio Luiz disse:

    Amigos,

    Não alimentem os trolls :)

  15. Suzi disse:

    Dudu, meu querido. Use seu poder supremo de moderação e exclua sem pena comentários desse nível de imbecilidade e narcisismo. Millor já ensinou e Cora reforçou: não se amplia a voz dos idiotas.

    beijos!!

  16. Depois advogados é que são arrogantes…

  17. Inacredibeliaveble!

    Primeiro, é "MAL educado", nunca "mau educado".

    Segundo, "filosófico raciocínio"??? MEL DELS…

    Terceiro, "se alguma pessoa obesa quiser e desejar poderá processar o autor", MEL DEEEELLLLSSS…

    "Código dos Direitos Universais dos Direitos Humanos", MEL DEEEEELLLLSSSS

    Os direitos humanos, não só também tem direitos como também estão codificados?

    PArem as rotativas! Todos Chora!

    • Leo Luz disse:

      É tão bom ter um advogado representando o PdG.

      Direito neles Arake!!!!!! o/

      Enfim, Tio Lucio, seu texto ficou extremamente claro com relação às últimas notícias do país.

      Sem medo de ser feliz, escreveu com outros olhos a discriminação abusiva que gordos, magros, negros, índios, ricos ou pobres sofrem, ainda.

      E reforço também: 'não alimentar os trolls!'

  18. Arethusa disse:

    Gostei bastante do texto. Ficou bem criativo e divertido, só fiquei com pena do meu irmão que com mais de 1,70m fica feliz quando consegue atingir os 50kg – hahahaha!

    Obs. Deixa o John viver no seu mundo de 'Justiça' hipócrita e continuar de olhos fechados para as discriminações que realmente ocorrem…

  19. Eu não deveria "feedar" mais esse "troll", mas caso alguém seja louco o suficiente para querer saber do que ele estava falando quando citou (sem fundamentar) o tio Schopenhauer, desde ano passado eu escrevo cada um dos estratagemas do livro lá no blog. O primeiro foi esse aqui ó: http://www.arake.com.br/2010/11/01/estratagemas-e

    O último que publiquei foi o 5. Estou escrevendo o 6.

    Informo apenas para que alguma coisa de boa saia da trollagem.

    Abraços!

  20. Larissa Portela disse:

    Ótimo texto! Com certeza cabe em situações onde a discriminação contra pessoas que sofrem de sobrepeso e obesidade seja tema central.

  21. @Gustavopereira disse:

    Eu ia comentar, mas não me aguentei com o John (que deve ser João querendo pagar de americano)

    Leia o nome do site e veja se alguém que está aqui lendo vai pensar em processar alguém. Eu gostaria de processar as pessoas que não entendem ironias, mesmo tendo escrito 32 livros.

    Ahhh, concordo com o Lúcio, não alimentem o troll. rsrsrs

  22. fab disse:

    Maravilhoso texto, muito engraçado,

    tudo haver com o q nós sentimos no mundo afora, principalmente nós mulheres, que ainda somos mais cobradas do que nunca para sermos todas

    magras e perfeitas…

    As empresas perdem grandes funcionarios por preconceitos

  23. Dr. Bactéria disse:

    Quanto mimimi, por causa de um texto inteligentíssimo! Acho que o objetivo foi alcançado.

  24. […] Anderssauro.com Bobagento.com Lol Hehehe O dia em que o Bobagento trollou metade da internet Entrevista de emprego – texto do Lucio […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *